O que o luto ensina

Reflexões sobre os ensinamentos que podemos tirar do luto.

Suely Buriasco

Jan 07, 2013   |   3 views   |   0 shares
  • Aceitar a morte dos entes queridos, bem como reestruturar a vida depois de perdas tão significativas é uma difícil tarefa, pois se trata de uma das maiores dores do ser humano, se não a maior.

    Um dos grandes especialistas em luto no mundo, o psiquiatra inglês Colin Murray Parkes autor do livro “Luto – Estudos sobre a perda na vida adulta” considera que o luto é o preço que se paga por amar e ter uma vida feliz ao lado de alguém. É assim que ele impulsiona seus pacientes a não esquecer, mas seguir com a boa lembrança. Para o especialista, o luto é uma importante transição, pois pode representar o reinício da própria história.

    Lembrança

    Quando vivemos o choque da perda, acreditamos que é o fim, que perdemos não só a pessoa amada, mas também tudo o que foi vivido de bom com ela. No entanto, com o tempo torna-se perceptível que esse ente vive e viverá sempre em nossa memória. Assim, nunca perdemos totalmente quem amamos, sempre haverá um elo nos ligando a eles e por mais intensa que seja a dor há sempre crescimento na superação.

    Sentir que somos capazes de sobreviver a um sofrimento extremo provoca amadurecimento e nos torna mais fortes. Refazer a vida tendo em mente que a perda é grande, mas não total, faz toda a diferença.

    Espiritualidade

    A espiritualidade, independente da religião, induz a pessoa a encontrar um sentido na vida, a buscar razões para sobrepujar a dor. É verdade que depois de uma perda a sensação é de quebra, de corte; então é preciso recompor-se, reestruturar a si mesmo e a própria vida. O lado espiritual tem forte influência nesse caminho de reconstrução. Segundo o Dr. Parkes: “Porque espiritualidade é achar um sentido na vida, qualquer que seja a linguagem que você utiliza para explicar esse significado”.

    A aceitação da morte como sendo parte da vida é outra consequência da espiritualização. A fé afasta a revolta e então é possível vivenciar a dor sem desespero. Pessoas espiritualizadas possuem a esperança genuína que consola e emana paz.

    Vale a pena

    Diante de uma grande perda muitas pessoas ficam com medo de amar, pois acreditam que dessa forma blindam-se da dor. Entretanto, é preciso que haja a compreensão de que as perdas são inevitáveis na vida e aceitá-las faz parte do amadurecimento de cada um. Não se pode negar que o luto é uma das mais difíceis experiências que podemos vivenciar, entretanto, nenhum de nós pode se esquivar dele. Quanto mais amamos, maior a dor da perda; é o preço que pagamos por tanto amar.

    Parkes salienta que “algumas pessoas acham seu luto tão doloroso que ficam com medo de amar novamente. Mas o preço vale a pena”.É importante entender e legitimar isso na nossa vida, afinal, se perder um amor é difícil; impossível mesmo é ser feliz sem amar alguém!

Suely Buriasco é escritora, educadora e consultora; especialista em MEDIAÇÃO DE CONFLITOS e MEDIAÇÃO CORPORATIVA. Possui dois livros publicados: “Uma fênix em Praga” e “Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois”

  • Família cobrando demais? 8 maneiras de equilibrar as prioridades e resolver os conflitos

  • 5 dicas infalíveis para saber se seu namorado está mentindo

  • Uma criança cega ensina sua classe sobre as cores das flores (VÍDEO)

  • Como agir quando se perde a carteira com "tudo" dentro

  • Como ajudar um amigo a ver a realidade de uma situação

  • 3 formas de romper um histórico de chantagem emocional

  • O poder de sua atitude perante os problemas

  • 6 atitudes para desarmar a raiva

  • 4 atitudes para tirar proveito e aprender com as adversidades

  • Então você "pisou na bola". E agora? Decisões que afetam sua vida inteira