6 perguntas que mães jovens odeiam ouvir

Há coisas que nunca deveriam ser ditas, porque nos fazem muito mal, principalmente se você for mãe, e pior, se for jovem mãe.

1,294 views   |   5 shares
  • Na vida aprendemos a ser firmes e fortes com as experiências que vamos adquirindo ao longo dos anos e nem sempre são fáceis de serem vividas. Algumas exigem de nós escolhas duras, mas necessárias para determinados momentos, ser mãe na juventude está entre elas.

  • Uma velha amiga contou-me sobre sua experiência de ter sido mãe de gêmeas na juventude, infelizmente, uma delas veio a falecer assim que nasceu. Ela relatou-me que não sabia como segurar sua filha nos braços e teve pouca ajuda, devido ao abandono de seu parceiro. Mas, ela permaneceu firme, aprendeu no hospital a maneira de dar banho e amamentar e foi com muito esforço e sacrifício que ela criou sua bela filha de uma forma honrosa.

  • Entretanto, ela me contou que na época de dificuldades, ela não se sentia emocionalmente bem, devido à perda de uma das filhas, porém, seguia em frente porque a que estava viva precisava dela. Contudo, ela se irritava ao extremo quando ouvia determinadas perguntas de pessoas insensíveis, alguns eram estranhos, mas havia aqueles que sabiam sua história e não tinham sensibilidade nenhuma para respeitá-la.

  • Separei 6 perguntas que não só minha amiga odiou ouvir como qualquer mãe jovem ou não, também teria o mesmo tipo de sentimento, são elas:

  • 1. Por que você não doa seu filho para a adoção?

  • A pessoa é completamente insensível para fazer esse tipo de pergunta e não deve ter noção do que é ser mãe ou pai. Uma verdadeira mãe faria "tudo", mas nunca mandaria um filho para a adoção. Reflita bem antes de fazer tal pergunta.

  • 2. Por que você não passa a guarda do seu bebê para seus pais?

  • "Quem pariu Mateus que balance" é um dito popular que é bem claro para essa situação. Não se deve jogar a responsabilidade de um filho para outra pessoa que não sejam os pais da criança. No entanto, eles precisam possuir total capacidade para fazê-lo.

  • 3. Será que você vai saber educá-lo?

  • Educação, não está relacionada à idade, mas ao caráter, virtudes e princípios que vamos recebendo desde à infância até a vida adulta. E é certo que, as boas mães mesmo que sejam muito jovens ou mais velhas, farão com que seus filhos adquiram o mesmo tipo de valores que elas receberam, fazendo deles capazes de estarem inseridos na sociedade.

  • 4. Será que você vai saber cuidar das necessidades dele?

  • Advertisement
  • Tudo na vida se aprende! Então, qualquer mãe, não importando qual seja sua idade, mas que tenha o comprometimento de ser mãe é capaz de cuidar das necessidades do filho. Se os bebês carecem de banho, alimento e vistorias constantes, as boas mães o farão. Se eles crescem, precisam ir para a escola, aprenderem a fazer boas escolhas, depois frequentarem faculdades e, com certeza, lá estarão essas boas mães para ajudá-los em todas essas coisas.

  • 5. Por que você engravidou tão novinha?

  • Não dá para responder esse tipo de pergunta para quem você não tem intimidade nenhuma, então muitas mães jovens respondem a mesma coisa sempre: Aconteceu! Porque se ela for detalhar que ela e o marido se programaram, a pessoa curiosa vai entrar com mais argumentos. E, se por acaso a pergunta for dirigida a uma mãe solteira, ela terá que ouvir comentários desagradáveis e como ela não havia pedido opiniões, pode acabar se irritando com tal situação.

  • 6. Você não tem juízo?

  • Pessoas estranhas e conhecidos não possuem nenhum direito de lhe perguntar se você tem juízo ou não porque a escolha de ser mãe é sua. Assuma suas responsabilidades no seu chamado de mãe, sua vida deve ser focada na sua família, pois é o que realmente importa. Não precisa brigar, apenas ignore, lembre-se que: "O silêncio também é uma resposta." As únicas pessoas pelas quais você deve satisfação de sua vida, se você for casada para seu marido, depois para seus pais e se achar que deve, você compartilha com seus entes querido e amigos mais íntimos.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Clique abaixo para compartilhar

Roberta Preto, 33. Formada como tradutora e intérprete, escritora, mãe. Apaixonada pela vida, em uma eterna busca por conhecimento. Espero que minhas palavras possam ser uma luz na vida das pessoas. Sonho em ajudar a humanidade a tornar-se livre da escravidão da ignorância.

6 perguntas que mães jovens odeiam ouvir

Há coisas que nunca deveriam ser ditas, porque nos fazem muito mal, principalmente se você for mãe, e pior, se for jovem mãe.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr