Moranguinho quebra o silêncio de 7 anos e pede ajuda contra a violência de Naldo

Na última semana uma verdade dolorosa veio à tona: Naldo Benny é violento com a esposa Ellen Cardoso.

25,449 views   |   12 shares
  • A agora ex-mulher do cantor Naldo Benny, Ellen Cardoso, mais conhecida como mulher Moranguinho, rompeu o silêncio de 7 anos sobre as violências do ex.

  • "Cansei das agressões", disse Ellen ao denunciar Naldo que chegou a ser preso após a justiça do Rio de Janeiro emitir uma medida protetiva contra ele. Na medida, foi determinado que o cantor saísse de casa e não tivesse qualquer contato com Ellen.

  • A última agressão, segundo a dançarina, foi no sábado dia 2 quando ele a teria agredido com uma garrafa após quebrar seu celular e o box do banheiro. Ellen também acusa o ex-marido de agredi-la com socos, empurrões, puxões de cabelo e pontapés.

  • A briga teria começado por ciúmes. Naldo queria saber a senha do Instagram de Ellen que tem uma loja virtual no aplicativo, porque, segundo Ellen, ele queria ver se as mensagens que a esposa trocava com os homens eram somente só de negócios, já que a dançarina recebe muitos elogios. Ellen se recusou e Naldo tornou-se violento.

  • Além disso, através de denúncia feita pela mulher, a polícia encontrou na casa do casal uma arma de fogo que pertence a Naldo. O cantor foi preso por porte ilegal de arma, mas não ficou muito tempo detido. Pagou fiança de 2.500 reais e foi liberado.

  • Eu,ele e o AMOR,um triângulo amoroso perfeito,sempre!❤️ #lançamento #coleçãoverao2018 #ricardoalmeida #SP

    A post shared by Ellen Cardoso Benny (@moranguinhoreal) on

  • Advertisement
  • Quando é a hora certa de denunciar

  • Ellen demorou 7 anos para denunciar Naldo. Isso é um imenso risco, porque muitas mulheres acabam por perder a vida devido à impunidade, porém o medo de morrer é também um empecilho para a denúncia.

  • Este, infelizmente, é um problema mundial, e no Brasil, segundo o Instituto Avon/Ipsos, a violência atinge 2 milhões de mulheres no Brasil a cada ano. A pesquisa aponta também que apenas 63% delas denunciam a agressão.

  • Os tipos de violência contra a mulher, de acordo com o Instituto avon/ipsos

  • Violência sexual

  • Ato ou tentativa de relacionamento sexual sem consentimento, sob ameaça, coação ou utilizando a força física. Sexo forçado - estupro - (mesmo dentro do casamento ou namoro), exigência de sexo como pagamento de favores, abuso sexual de pessoas mental ou fisicamente incapazes, negação do direito de usar anticoncepcionais ou de adotar outras medidas de proteção contra doenças sexualmente transmitidas e aborto forçado.

  • Violência física

  • Agressão física, socos, chutes, puxões de cabelo, empurrões, etc., que podem ocasionar traumas, lesões, marcas e até causar a morte.

  • Violência psicológica

  • Agressões verbais, xingamento, gritos, humilhações, falta de respeito, ataques à autoestima da mulher, ciúmes exagerados e ou imaginários, desconfiança exagerada, ameaças, cárcere privado, ameaça com arma, ameaça de morte, abuso de autoridade - tratar a mulher como escrava.

  • Violência moral

  • Constrangimento, xingamento ou humilhação em público, difamação, calúnia.

  • Não se deixe enganar

  • Nenhuma violência deve ser tolerada. É muito comum o homem agredir e depois pedir desculpas, prometer não fazer mais e agir como um "príncipe". Além disso ele pode tentar se justificar ao invés de assumir a culpa, ou jogar a culpa na mulher com frases como: "você me deixa louco", "a culpa é sua por ser...", ou ainda, "eu te amo tanto, você é minha, etc."

  • Nada disso é verdade. É apenas manipulação que alguns criam para continuar a manter a mulher perto de si. Quem agride, não ama.

  • Denuncie

  • Denunciar é o primeiro passo para se livrar da violência doméstica, no entanto, muitas mulheres não fazem isso, seja por medo ou vergonha, dependência financeira ou afetiva, muitas que sofrem violência, seja física, sexual ou psicológica, continuam caladas.

  • Advertisement
  • Se você é ou conhece alguém que seja vítima de violência doméstica, ligue 180, que é a central de atendimento à mulher em atividade desde 2005, atende em todo o Brasil a mulheres em situação de violência. Funciona 24 horas por dia, sete dias por semana. É importante procurar uma Delegacia da Mulher ou Delegacia de Defesa da Mulher. O Instituto Patrícia Galvão, referência na defesa da mulher, tem uma página completa com endereços no Brasil. Clique aqui.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Nos ajude a divulgar a mensagem...

Stael Ferreira Pedrosa é escritora free-lancer, tradutora, desenhista e artesã, ama literatura clássica brasileira e filmes de ficção científica. É mãe de dois filhos que ela considera serem a sua vida.

Website: http://tedandoumaideia.blogspot.com.br/

Moranguinho quebra o silêncio de 7 anos e pede ajuda contra a violência de Naldo

Na última semana uma verdade dolorosa veio à tona: Naldo Benny é violento com a esposa Ellen Cardoso.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr