Espiritualidade no casamento: 9 passos para falar com seu cônjuge sobre a deidade

Você anseia por compartilhar sua crença e seus sentimentos a respeito dela com seu cônjuge? Veja como fazê-lo de forma pacífica.

3,696 views   |   4 shares
  • Você é uma esposa ou um marido religioso e gostaria muito que seu cônjuge, que não partilha da sua fé, soubesse mais a respeito do que você acredita? Veja como introduzir pacificamente o assunto “religião” no seu cotidiano familiar sem que seu cônjuge se sinta constrangido ou pressionado:

  • 1 - Seja um exemplo vivo daquilo que acredita

  • Tenho uma amiga, na Igreja da qual faço parte, que é membro dela há mais de 40 anos. Ela é uma esposa amorosa, paciente e dedicada. Ela se esforça para cumprir aquilo que temos aprendido na classe das mulheres. Seu marido é ateu, mas admira muito sua delicadeza, dignidade, linguajar puro e refinado, e a sua postura como esposa, mãe e profissional. Ele sabe que muito do que ela é ela deve à sua fé. Apesar de não acreditar em Deus, ele admira nossa religião pelo bom exemplo de sua querida esposa.

  • As religiões, em geral, ensinam sobre amor, paciência e tolerância. Viva o que você acredita dentro do seu lar e seu exemplo ensinará valiosas lições.

  • 2 - Insira princípios que você crê nos contextos do dia a dia

  • Aproveite os assuntos que são conversados ou as situações do cotidiano para ensinar princípios que você acredita, que são aplicáveis ao que está acontecendo. Por exemplo, você pode ensinar paciência diante de uma doença, pode ensinar sobre frugalidade diante de uma dificuldade financeira, pode ensinar caridade compartilhando seu alimento com os necessitados e incentivando seus filhos a fazerem o mesmo.

  • 3 - Apresente-lhe membros da sua congregação religiosa, com os quais ele poderá se identificar.

  • Você conhece o seu cônjuge e sabe o tipo de pessoa com as quais ele simpatiza. Convide algumas pessoas com esse perfil, que sejam bons membros dentro da sua religião, para lhes visitar. Procurem passar bons momentos juntos. Evite o assunto religião. Se você perceber que ele gostou delas, combine outras visitas. Um bom vínculo de amizade pode ajudar muito.

  • 4 - Preste seu testemunho

  • Preste atenção aos seus sentimentos e, assim que você se sentir inspirado, fale sobre o que você acredita. Abra seu coração a respeito da sua fé. Fale sobre quem é Deus para você e o que Ele tem feito para lhe ajudar a ser uma pessoa melhor. Fale sobre a felicidade que sente pela fé que tem e o quanto isso lhe dá segurança.

  • 5 - Apoie-o na sua religião

  • Se seu cônjuge é uma pessoa religiosa, porém em outra denominação, dê apoio a ele. Peça-lhe que fale sobre o que acredita. Aproveite a oportunidade para falar também sobre o que você acredita. Lembre-se de que Deus ama todos os seus filhos, sejam de quais religiões forem.

  • Advertisement
  • 6 - Convide-o pacificamente para visitar o local da sua prática religiosa

  • Crie coragem e faça o convite. O máximo que você ouvirá será um “não”. Não custa tentar de tempos em tempos.

  • 7 - Faça um acordo

  • Ofereça-se para participar de algumas reuniões da religião dele, e peça que, em troca, ele participe das reuniões da sua religião.

  • 8 - Espalhe escrituras sagradas, revistas, livros, DVDs, CDs e outros materiais, publicados pela sua denominação religiosa, pela casa.

  • Coloque-os na sala, no quarto e no banheiro. Uma hora ou outra a curiosidade baterá e seu cônjuge pegará um ou outro para ler, escutar ou assistir.

  • 9 - Não perca a esperança

  • Se seu maior sonho é que seu cônjuge participe da sua fé, continue fazendo a sua parte. Continue sendo um bom exemplo e aproveite as oportunidades para ensinar-lhe o que você acredita. Não perca a esperança.

  • Lembre-se, porém, de avaliar bem as suas próprias crenças e de orar a Deus pedindo orientação. Talvez aquilo que você tem aprendido até agora seja somente parte de uma grande e maravilhosa verdade. Não rejeite mais luz e conhecimento. Quem sabe o futuro lhes reserve algo ainda maior, um lugar onde você e seu cônjuge possam adorar juntos.

  • “Temos de renunciar a algumas coisas boas em prol de outras muito boas ou excelentes, pois elas desenvolvem a fé (...) e fortalecem a família”.

  • Dallin H. Oaks
  • Deus ama seus filhos e deseja que em seus lares reinem o amor, a paz e a harmonia. A família é a base da sociedade e a base do Plano do Pai Celestial. O que Ele tem preparado para cada uma delas transcende tudo de melhor que há na mortalidade. Vale a pena qualquer sacrifício para colher as bênçãos eternas que Deus preparou para cada família humana.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Compartilhe agora...

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.

Website: http://erikastrassburger.blogspot.com.br/

Espiritualidade no casamento: 9 passos para falar com seu cônjuge sobre a deidade

Você anseia por compartilhar sua crença e seus sentimentos a respeito dela com seu cônjuge? Veja como fazê-lo de forma pacífica.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr