Você, eu e o juiz somos 3: Coisas a evitar no processo de divórcio

Embora o divórcio possa ser repleto de desafios emocionais, financeiros e sociais, por vezes são os seus aspectos legais que causam mais estresse e tumulto.

5,849 views   |   shares
  • Você, eu e o juiz somos 3: Coisas a evitar no processo de divórcio

  • Embora o divórcio possa ser repleto de desafios emocionais, financeiros e sociais, são por vezes os aspectos legais do divórcio que causam mais estresse e tumulto. Porque os detalhes legais geralmente são estranhos para a pessoa média, e pode ser extremamente opressivo processar toda a informação envolvida na dissolução de um casamento. As sugestões a seguir irão ajudá-lo a evitar algumas das armadilhas comuns que muitas vezes fazem um divórcio mais difícil e estressante do que ele precisa ser.

  • 1. Não use o seu advogado como um terapeuta

  • Ele não é pago e nem treinado para isso. Tempo realmente é dinheiro, então faça o melhor uso do tempo de seu advogado. A maioria irá cobrar por cada telefonema que você fizer para eles. Se você ligar para seu advogado e falar por sessenta segundos, ele provavelmente irá cobrar-lhe um quarto de hora. Se ele cobra R$ 200,00 por hora, você acabou de fazer uma chamada de telefone de R$ 50,00. É melhor poupar suas perguntas até que você tenha dúvidas suficentes para utilizar os 15 minutos inteiros. Faça ao seu advogado apenas questões de cunho jurídico e não emocionais como: "O que eu vou fazer com o resto da minha vida?". Se precisar falar com alguém, ligue para os amigos e familiares para obter o apoio emocional ou procure a ajuda de um terapeuta licenciado.

  • 2. Não fique com um mau advogado

  • Você é a pessoa que contratou o seu advogado e ele trabalha para você. Se sentir que ele não está fazendo um bom trabalho ou não estiver dando a quantidade certa de tempo e esforço para o seu caso, não hesite em procurar outra pessoa. Seu novo advogado cuidará de informar ao anterior que ele está fora do caso.

  • 3. Não tenha medo de fazer perguntas

  • Faça uma lista de perguntas ou preocupações para levar consigo toda vez que for ver o seu advogado. Faça perguntas sobre uma variedade de tópicos, desde sua experiência profissional aos detalhes do processo de divórcio e a maneira como serão cobrados seus honorários. Certifique-se que seu advogado esclarecerá qualquer coisa que você não entender e tome nota de tudo, tais como taxas, sistemas de pagamento e termos de serviço.

  • 4. Não faça seu divórcio sozinho, a menos que você esteja em circunstâncias adequadas

  • Se tiver sido casado por menos de 5 anos, não tiver filhos, e não houver bens a serem divididos, então em circunstâncias muito especiais é possível, no Brasil, um divórcio sem advogado. Procure o cartório de sua cidade e se informe. No entanto, mesmo que você e seu cônjuge se enquadrem nos critérios, é uma boa ideia contratar um advogado, ainda mais se vocês dois não conseguem se comunicar de forma eficaz.

  • Advertisement
  • 5. Não retenha informações para seu advogado

  • Se você quer que seu advogado seja capaz de proteger os seus interesses, terá que ser completamente honesto com ele. O seu advogado poderá, inadvertidamente, lhe dar maus conselhos se as respostas para suas perguntas estiverem incompletas ou forem falsas. Não deixe de fora coisas como infidelidade, abuso de drogas ou outras informações importantes, porque se sente envergonhado. Se a verdade vier à tona mais tarde, no tribunal, isso poderá causar sérios danos ao seu caso e causar uma alteração na decisão do tribunal após o divórcio ter sido concluído. Se o tribunal acreditar que um lado tenha sido fraudulento, isso acarretará sanções judiciais e até indenizações dependendo do caso.

  • 6. Não use o mesmo advogado do seu cônjuge

  • Esse é um erro. Será quase impossível ao seu advogado ser leal aos seus melhores interesses, enquanto ele também está tentando fazê-lo para o seu cônjuge. Vale a pena o custo de contratar seu próprio advogado, que poderá concentrar-se em suas necessidades, sozinho.

  • Traduzido e adaptado por Ana Maria Castellano do original You, me and the judge makes 3: Things to avoid in the divorce process.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Compartilhe com seus amigos!

Dr. A é um terapeuta familiar há mais de 35 anos e já publicou mais de 20 livros/programas de treinamento.

Website: http://www.FirstAnswers.com

Você, eu e o juiz somos 3: Coisas a evitar no processo de divórcio

Embora o divórcio possa ser repleto de desafios emocionais, financeiros e sociais, por vezes são os seus aspectos legais que causam mais estresse e tumulto.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr