Como falar sobre boa música com seus filhos

Diz o compositor Walter Franco: “Quem canta seus males espanta”. Veja como ajudar seus filhos a aprenderem a apreciar a boa música.

1,588 views   |   2 shares
  • Para iniciar este artigo, gostaria de refletir primeiramente sobre a definição de boa música. Como podemos definir o que é boa música e o que é música ruim? Ao buscar por respostas devemos levar em consideração que existem inúmeros gêneros musicais e pessoas para gostar de cada um deles. Sempre vamos encontrar pessoas tentando “julgar” diferentes estilos de músicas embasados em seu próprio gosto e preferência, e o que define na verdade a boa música é o que agrada a cada um.

  • Porém, é relevante lembrar que a música tem o poder de alterar o comportamento das pessoas, seja para acalmar ou para agitar. A influência é tão forte que muitos acabam agindo de acordo com o que a música lhes instiga a fazer e muitos julgam ser a melhor forma de pensar e agir, principalmente entre os jovens que fazem do gênero musical seu estilo de vida. Há os que se denominam sambistas, roqueiros, pop, sertanejos, entre outros gêneros. Usam vestimentas, vocabulário, gestos, cortes de cabelo, maquiagem e acessórios que representem o estilo musical que lhes agrada, formando assim os grupos, também chamados de tribos.

  • Com isso podemos concluir que este tema mostra aos adultos a responsabilidade que eles têm enquanto exemplo e influência para os mais jovens ao educar e orientar em relação à música, sejam eles: filhos, irmãos, alunos, sobrinhos ou qualquer outro tipo de contato que possam ter. A orientação também é necessária em relação ao uso da música como uma ferramenta para que estes jovens se tornem pessoas tranquilas, respeitosas e amantes da paz, do belo, da vida e, principalmente, homens e mulheres que perpetuem essa influência.

  • Usando a criatividade para a apresentação da boa música

  • Lembro-me que, quando criança, sempre ouvia em nossa família muitos estilos musicais. Sempre que havia uma reunião de família na casa de meus avós, o que cantavam era bossa nova, MPB, rock, samba estilo raízes. Isso influenciou muito meu gosto musical. Porém, meu pai era diferente de meus tios e primos em seu estilo musical; até hoje ele gosta de música instrumental, ópera, erudita ou clássica.

  • Ele fazia uma brincadeira que adorávamos: sentávamos todos os cinco filhos ao redor dele na sala e ele colocava as músicas que normalmente não gostávamos, mas o que ele fazia nos encantava. Ele inventava histórias a partir das músicas. Histórias de guerreiros batalhando e, apesar de muitas dificuldades no final, sempre venciam seus opositores, príncipes e princesas, dragões, feiticeiros e anjos.

  • Advertisement
  • Quando eu tinha aproximadamente doze anos de idade, comecei com a tendência de gostar do rock estilo pop e romântico. Um dia, meu pai me trouxe um presente, um disco de vinil que tinha como título “Classic Rock”. Eram músicas de bandas que eu gostava, como Queen, Led Zepelim, Beatles, Erick Clapton, mas eram interpretadas pela orquestra de Ray Conniff. Foi muito bom poder ouvir as minhas músicas preferidas de uma maneira mais tranquila e agradável, além, claro, das boas histórias que ele inventava. Hoje posso me considerar eclética, porém, seletiva ao escolher os gêneros musicais da atualidade. E isso influencia muito na seleção musical de meus filhos. Eles também sabem discernir o que um estilo de música pode causar em seu comportamento.

  • Esta minha experiência é só para ilustrar como a influência dos pais e familiares é importante na formação da criança e do jovem. Se a família não fizer sua parte, a sociedade e os amigos farão e a probabilidade de que a influência seja negativa é muito maior. Por isso, o monitoramento deve ser presente e o exemplo deve falar mais alto do que dita a moda.

  • A influência da música não se limita a somente acalmar ou agitar as pessoas de todas as faixas etárias, pois além da melodia e do ritmo existe o conteúdo, a mensagem que é transmitida por meio da letra. Infelizmente nos dias atuais não encontramos muitas letras boas nas músicas. Por isso, nossa responsabilidade redobra ao monitorar e determinar como abordaremos e despertaremos nas crianças e jovens o compromisso em escolher aquilo que os conduz aos bons pensamentos e atitudes.

  • Sugestões para pais e responsáveis

    1. Estejam atentos ao que as crianças e jovens estão cantando e/ou ouvindo.

    2. Valorizem sempre quando notarem que a criança ou jovem estiver optando por ouvir boa música.

    3. Sugiram e apresentem-lhes opções musicais.

    4. Não critiquem no primeiro momento, procurem observar e fazer com que a criança ou jovem por si só analise o que está cantando ou ouvindo.

    5. A partir deste primeiro impacto, notem as justificativas e tentativas, mesmo que inconsciente, de racionalizar ou justificar que é a moda, que o amigo ouve sem criticar, etc.

    6. Prestem atenção que algumas dessas escolhas refletem o que aprendem, ou o que não aprendem, sobre valores familiares, e daí então, reforce-os e viva-os para dar o exemplo.

  • Uma dica importante

  • Faça uma autoanálise quanto ao seu próprio estilo musical. Observe se suas escolhas estão influenciando positiva ou negativamente a criança ou jovem que vive sob sua responsabilidade ou não. O adulto tem a errônea ideia de achar que certas ações são inapropriadas somente para a criança ou jovem, mas que para ele é permitido. Procure compartilhar e descrever para as crianças como certas músicas influenciam em seu comportamento, como marcaram momentos felizes de sua vida.

  • Advertisement
  • Curiosidades sobre a música no comportamento humano

    • Pesquisas dizem que ouvir música preferida aumenta o desempenho.

    • Ouvir música clássica pode deixar a pessoa mais inteligente.

    • Estudo revela que existem algumas canções que são mais cativantes do que outras, verifique quais são e se estão em sua lista de músicas preferidas.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Compartilhe com seus amigos!

Graduada em Administração de Empresas com MBA em Empreendedorismo. Casada mãe de 6 filhos, avó de 2 netos. Atua profissionalmente como Analista Instrutora da Educação Empreendedora no SEBRAE - SP. Como hobby gosta de artesanato, música e leitu

Como falar sobre boa música com seus filhos

Diz o compositor Walter Franco: “Quem canta seus males espanta”. Veja como ajudar seus filhos a aprenderem a apreciar a boa música.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr