Depois de aprender a ler aos 70 anos, esta senhora buscou um sonho ainda maior

Para muita gente, não há obstáculo intransponível. Que o diga a agricultora de 73 anos de idade, Maria Moreira de Andrade, que tem uma bela história pessoal para contar, muito embora o melhor ainda esteja por vir.

1,457 views   |   shares
  • Maria passou quase toda a sua vida apreciando as palavras, mas sem saber como pô-las no papel. Quem fazia o papel de leitor em sua casa era o marido, José, que lia histórias para sua amada esposa, a qual, por sua vez, ficava ouvindo, deitada no peito dele, o encanto daquelas palavras. José sempre incentivou Maria, e ela sempre desejou colocar seus pensamentos no papel, em forma de poesia. Muitos foram os motivos que não permitiram durante seis décadas que ela aprendesse a ler e a escrever. Mas pouco antes de falecer, há cinco anos, José fez um pedido para Maria: "Você tem muito conhecimento. Quero que coloque tudo no papel. Quero que você ganhe o mundo".

  • Para realizar a última vontade de seu companheiro de toda a vida e, claro, realizar um sonho há muito tempo desejado, Maria estabeleceu como meta aprender a ler e escrever. Mas não parou por aí, ela quer ir além. Seu sonho agora é se formar em Letras, pela Universidade Federal de Santa Catarina.

  • Um pouco da trajetória de Maria

  • Quando era criança, Maria adorava ver seu pai compor lindas serenatas de amor para sua amada esposa. Foi daí que surgiu em Maria o desejo de transformar seus pensamentos em lindas poesias, assim como fazia o pai. Ela pensava em estudar, mas logo conheceu José, que conquistou seu coração, e a tomou como esposa. Um tempo depois, ambos saíram de sua terra natal, Criciúma, sul de Santa Catarina, para trabalharem no norte do país. Foi uma viagem longa, e por três décadas, o casal e os filhos não voltaram para o sul do Brasil. Foi nessa época que Maria encontrou o enredo perfeito para suas futuras histórias.

  • "Quando a gente chegou lá não tinha nada. Construímos uma tenda de ripas e teto de folha de babaçu. Não tinha móveis, mas criamos alguns com varinha, varinha das árvores mesmo, e um fogão de barro. Eu levava meus filhos para escola de facão na cintura com medo da onça. Eu amava tudo aquilo", conta.

  • Infelizmente, a vida é por vezes injusta. José adoeceu e começou uma batalha contra um câncer de próstata. Acabaram se mudando para Florianópolis, capital catarinense, para buscar um tratamento mais eficiente para a doença. Nessa batalha, a doença acabou vencendo, e José faleceu em 2009, aos 76 anos de idade. Mas antes disso, veio o pedido à Maria, que, desde então, considera-o prioridade em sua vida.

  • Advertisement
  • Poetisa de mão cheia

  • Quem tem o privilégio de ler algumas das poesias escritas por Maria nem sonha que ela começou a escrever há pouco mais de quatro anos. As palavras se tornaram amigas íntimas, e hoje Maria as coloca no papel como se fosse uma escritora com uma vida inteira de experiência. Em dois anos, já criou mais de 200 obras poéticas fundamentadas, principalmente, em seu lindo legado. Ainda pretende lançar um livro e quem sabe ganhar o mundo, como desejava seu amado José.

  • Aprendendo o bê-á-bá

  • Maria teve que dar os primeiros passos rumo a seu objetivo final. Tentou se matricular em uma escola de jovens adultos em Florianópolis, mas se sentiu um pouco deslocada, então desistiu. Mais tarde, descobriu uma escola para pessoas com mais de 50 anos, cujo processo de aprendizagem é especializado.

  • Ela pretende enfrentar todo o ensino regular para depois tentar vestibular de Letras na UFSC. E ainda conta com atividades extracurriculares, como corais, reforços de estudo e exercício de memória com uma terapeuta. Todas essas atividades são ofertadas pelo Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI), da UFSC, onde ela está buscando a formação regular. E, claro, nos fins de semana, Maria coloca em prova seu talento com a escrita. Pega folhas e lápis e aproveita a sua caminhada pela beira-mar de Florianópolis, onde busca inspiração para escrever suas lindas poesias.

  • _Fonte das imagens: Hora de Santa Catarina.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Compartilhe agora...

Márcia Denardi é jornalista, musicista e uma mãe e esposa loucamente apaixonada pelos filhos e pelo marido. Tem como objetivo profissional usar a informação para fortalecer as famílias. Curta a fan page www.facebook.com/blogmarciadenardi.

Website: http://marciadenardi.blogspot.com

Depois de aprender a ler aos 70 anos, esta senhora buscou um sonho ainda maior

Para muita gente, não há obstáculo intransponível. Que o diga a agricultora de 73 anos de idade, Maria Moreira de Andrade, que tem uma bela história pessoal para contar, muito embora o melhor ainda esteja por vir.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr