7 formas que o amor transforma seu cérebro

Quando nos apaixonamos, o amor que sentimos é capaz até de transformar o nosso cérebro; veja como.

3,864 views   |   2 shares
  • "Guarde o amor no seu coração. Uma vida sem amor é como um jardim sem sol, onde as flores estão mortas." – Oscar Wilde

  • Quando o amor enche o nosso coração parece que algo muda. O mundo torna-se mais alegre; o sol torna-se mais brilhante, e a voz da pessoa que amamos é como uma melodia das mais belas sinfonias. Quando amamos, o nosso coração parece que quer saltar do nosso peito, mas o amor também tem grandes efeitos no nosso cérebro.

  • Podemos encontrar sete formas de como o amor causa mudanças até no nosso cérebro:

  • 1. Começamos a pensar em "nós" ao invés de apenas "eu"

  • Quando o amor começa a crescer, nós deixamos de pensar no eu e começamos a pensar mais na pessoa que amamos. Este efeito é notado desde que somos crianças e o demonstramos com os nossos pais, quando estamos com a pessoa que desejamos partilhar a nossa vida e, não esquecer, é algo que também envolve os filhos. O amor começa logo por mudar a nossa forma de pensar; o que nós desejamos deixa de ser uma prioridade e começamos a ficar mais preocupados com o que a pessoa que amamos deseja e precisa.

  • 2. Nós nos sentimos viciados

  • Há quem compare o amor a uma droga, e existe uma razão para isso. Os sistemas que se tornam ativos quando estamos apaixonados são os mesmos que ficam ativos quando estamos sob o efeito de uma droga. Por exemplo, a euforia que nos faz desejar mais, desejar estar mais tempo com a pessoa que amamos é, na sua essência, parecida com o desejo que uma pessoa viciada sente quando quer usar o seu vício. Apesar disso, o vício do amor é, com certeza, um vício muito saudável e recomenda-se!

  • 3. Quanto mais amamos, mais saudáveis e sábios ficamos

  • Quando nos apaixonamos e cuidamos de um amor que está crescendo, o efeito que isso tem no nosso coração é muito benéfico. Sabem aquela sensação que sentem no peito, que parece que o coração quer saltar do peito para fora? Essa sensação é parecida com a que sentimos quando estamos fazendo exercício e, por isso, estar apaixonado é um bom exercício para o coração. No que toca ao cérebro, estar apaixonado liberta uma hormona chamada dopamina, e essa hormona está ligada ao prazer, desejo e euforia. Devido a essa hormona, nós nos sentimos mais felizes e, quem se sente mais feliz vive relações mais saudáveis e, além disso, o efeito dessa alegria faz com que fiquemos mais sábios e com uma melhor saúde mental.

  • 4. Nós ficamos mais relaxados

  • Apesar de todos nós lembrarmos da sensação de borboletas voando no nosso estômago na altura do primeiro beijo que demos com a pessoa que amamos, não é desse nervosismo a que me refiro quando falo de precisar relaxar. Quando estamos com a pessoa que amamos, durante uma relação saudável, basta apenas dar a mão para que, mesmo depois de um dia estressante, o nosso corpo relaxe, a nossa pressão sanguínea abaixe, as dores físicas que podemos sentir são atenuadas e a nossa mente acalme.

  • Advertisement
  • 5. Nós protegemos mais e também auxiliamos mais

  • Quando amamos alguém, nós aprendemos algo que é maravilhoso – a importância de apoiar e de proteger alguém que é muito importante para nós. Este desejo cresce a medida que nós permitimos que uma relação de confiança cresça entre nós e a pessoa que amamos. Também é de notar que, segundo o Professor Semir Zeki, da University College London, que promoveu estudos realizados usando MRI (imagem por ressonância magnética), a atividade na zona frontal do nosso cérebro, responsável pelo julgamento, é diminuída, o que nos faz ser menos críticos e negativos em relação à pessoa que amamos; o que nos permite apoiar mais e ser mais carinhosos em vez de ser negativos e deitar abaixo.

  • Leia também: 5 formas de demonstrar por ações que você ama alguém
  • 6. Nós brilhamos

  • Bem, tecnicamente não somos nós que brilhamos, mas sim os locais do nosso cérebro responsáveis pelo que é chamado de recompensas (quando fazemos algo bom, esses locais nos fazem sentir bem e quando fazemos algo mau, então esses locais nos fazem sentir mal). Esse efeito está muito ligado ao que falamos no ponto três, sobre a dopamina. Pessoas que dizem estar muito apaixonadas mostram que estão cheias de alegria e com sorrisos mais bonitos que o normal – elas parecem brilhar.

  • 7. Nós nos sentimos seguros

  • Este sentimento é análogo ao que os bebês sentem em relação à sua mãe. Quanto mais o amor entre duas pessoas cresce, então mais seguras elas irão se sentir na relação. Segundo o mesmo estudo do ponto cinco, esse amor que está crescendo é capaz até de anular a parte do nosso cérebro que é responsável pelo sentimento de medo e pelas emoções negativas em geral.

  • O amor é o único sentimento forte o suficiente para mudar corações e alterar até a nossa forma de pensar. Quando amamos, nós deixamos de pensar no eu e começamos a pensar mais nos outros, principalmente em quem amamos. Quando vivemos esse sentimento maravilhoso, o nosso corpo fica mais saudável, o nosso coração bate com mais força, como se a motivação para bater fosse viver para sempre com aquela pessoa especial.

  • Advertisement
  • Aproveitando a citação de Oscar Wilde, vamos permitir que a luz do sol aclare o nosso jardim e ilumine as flores que querem florescer como nos primeiros dias da primavera.

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

João Martins é um biofísico com uma paixão pelo ensino e busca de conhecimento. Podem enviar uma mensagem ou seguir no Facebook: https://www.facebook.com/joao.martins.1401 ou no google+ https://plus.google.com/u/0/+JoaoMartinsJPM/posts

Website: http://minhaalmatempo.blogspot.pt/

7 formas que o amor transforma seu cérebro

Quando nos apaixonamos, o amor que sentimos é capaz até de transformar o nosso cérebro; veja como.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr