Não é o meu dever ler sua mente

Você vive numa bolha? Isto é o que seu marido acha.

2,733 views   |   shares
  • _Este artigo foi originalmente publicado no blogue de Kevin A. Thompson e republicado aqui com permissão do autor, traduzido e adaptado por Stael Pedrosa Metzger.

  • Fui jogar golfe no meu aniversário de casamento.

  • Se eu fosse você não tentaria fazer isso em casa, a menos que você esteja absolutamente certo de que sua esposa concorda e mesmo assim eu iria verificar novamente.

  • A partida de golfe foi a última de um torneio de quatro dias que eu participo todos os anos e que aconteceu coincidir com o nosso aniversário.

  • Joguei porque minha esposa disse que estava tudo bem.

  • Eu acreditei nela porque é isso que nós escolhemos fazer.

  • Nós escolhemos ser um casal honesto um com o outro sobre os nossos pensamentos, sentimentos e expectativas.

  • Não somos perfeitos. Nós falhamos infelizmente. No entanto, o nosso desejo é ser um casal que se comunica abertamente um com o outro.

  • Um princípio norteador para produzir esse resultado é o entendimento de que eu não posso ler a mente da minha esposa.

  • E eu não posso esperar que ela leia a minha também.

  • Ouço isso o tempo todo:

    • "Se ele me amasse, saberia o que eu quero."

    • "Eu não deveria ter que pedir."

    • "Ele deve saber o que fez de errado."

  • Mesmo que ele devesse saber, ele não sabe. Mesmo que você não deveria ter que pedir, peça. E mesmo que você queira que ele saiba, ele não vai saber até que você diga a ele.

  • As pessoas são diferentes. Elas veem o mundo de forma diferente. Têm diferentes expectativas e experiências.

  • Homens e mulheres são ainda mais diferentes. Fomos criados com diferentes pontos fortes e fracos. Certamente veremos o mundo de forma diferente.

  • Devido a estas diferenças, não podemos esperar que os outros sejam capazes de ler nossas mentes.

  • O amor não é a capacidade de saber o que o nosso cônjuge está pensando sem pedir; amar é ter tempo para perguntar, ouvir e agir em resposta ao que o nosso cônjuge nos diz.

  • Já que não podemos ler a mente do outro, o que acontece é:

  • 1. Entendemos cada palavra ao pé da letra

  • Se eu disser algo, Jenny irá supor que eu quero dizer o que disse. Eu não posso dizer uma coisa esperando que ela interprete como outra. Se ela diz "sim", ela não pode esperar que eu entenda "eu estou dizendo que sim, mas eu realmente quero dizer não, então é melhor não fazê-lo." Se eu digo que está tudo bem a respeito de algo, é melhor que para mim esteja mesmo tudo bem com isso.

  • Advertisement
  • 2. Devemos assumir que não sabemos o que o outro está pensando

  • Suposições podem ser perigosas. Se supusermos que sabemos o que o outro está pensando, estaremos tentados a não perguntar ao nosso cônjuge seus pensamentos. Ao assumir que não sabemos o que o outro está pensando, estamos mais propensos a comunicar. Se você quer supor alguma coisa, suponha que você não sabe o que vai na mente do outro.

  • 3. Sermos compreensivo quanto a um erro

  • Casamento costuma ser difícil. Nós certamente erraremos. Errar é o que nos permite crescer. Se nunca cometêssemos erros, nunca aprenderíamos mais sobre os outros ou sobre nós mesmos. Nós nunca realmente precisaremos mais do amor no qual a relação é baseada que nesses momentos.

  • Jenny e eu adoraríamos ser um casal que compreende perfeitamente um ao outro com tal profundidade que poderíamos completar as frases um do outro e saber o que o outro pensa antes mesmo que ele diga.

  • Como queremos ser esse tipo de casal, fazemos tudo para compartilhar nossas mentes, corações e sentimentos. Tornar-se um não é algo que acontece quando um casal se apaixona; é um subproduto de uma vida de comunicação, experiências compartilhadas, e aprender a entender um ao outro.

  • Não é meu dever ler a mente do meu cônjuge. Meu dever é compartilhar minha mente com a minha esposa e ouvir quando ela compartilha a sua.

  • Nota para os homens

  • Se você está se perguntando como convencer a sua esposa a deixá-lo jogar golfe em seu aniversário de casamento, não tem como.

  • Para muitas mulheres, um aniversário de casamento é um dia importante onde seu tempo, atenção, e os presentes são vitais para ela se sentir amada. Mas não é assim para a minha esposa, Jenny

  • Para ela, é importante celebrarmos nosso aniversário, o dia específico não importa.

  • Ela não gosta de presentes; ela prefere experiências compartilhadas.

  • Cada ano em junho nós fazemos uma viagem e celebramos o nosso aniversário. Fazendo antes a nossa viagem, eu sabia que ela provavelmente não se importaria que eu jogasse. Perguntei. Ela concordou.

  • Se eu achasse que ela hesitaria, eu não teria perguntado. Se ela me tivesse pedido para não jogar, eu não teria jogado.

  • Se sua esposa não pensa dessa forma, lide com isso. Aprecie o que você tem e não tente mudá-la.

  • Se sua esposa pensa desta maneira - não se preocupa com o dia atual, não quer presentes, e permite que você jogue golfe - Dê graças a Deus e não se gabe (exceto através de um blogue).

  • Advertisement

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Kevin A. Thompson é o Pastor líder da Igreja da Comunidade da Bíblia, localizada em Fort Smith, Arizona. Ele escreve diariamente um blog focado em liderança, casamento, pais e filhos, (especificamente porque é pai de uma criança com necessidades especiais). Ele é dono juntamente com sua esposa da empresa de marketing JThompsonMMC, graduado pela Beeson Divinity School e pela Universidade Batista de Oklahoma.

Website: http://www.kevinathompson.com/

Não é o meu dever ler sua mente

Você vive numa bolha? Isto é o que seu marido acha.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr