Nutrição do bebê: Amamentação

Este é o segundo artigo da série de três textos que falam sobre o melhor modo de nutrir nossos bebês. Veja as diferenças entre aleitamento materno e amamentação com fórmulas.

1,323 views   |   shares
  • Neste segundo artigo da série sobre nutrição do bebê, vamos falar sobre o lactente, ou seja, o bebezinho que está no início de sua vida e não precisa de nenhuma outra fonte nutritiva que não seja o leite. Todas as mulheres, mamães ou não, sabem da importância do aleitamento materno, mas como nem todas elas podem ofertar seu próprio leite aos seus filhos pelas mais diferentes razões, acho importante abordar as duas melhores formas de alimentar o bebê nesta fase: amamentação com fórmula e aleitamento materno.

  • 1.

  • Leite materno
  • De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o ideal é que todas as crianças sejam amamentadas até os dois anos de idade (exclusivamente até os seis meses e depois juntamente com alimentos sólidos). Infelizmente, nossa vida atribulada não possibilita, na maioria das vezes, que façamos isso. Porém, se conseguirmos amamentar nosso bebê o máximo de tempo possível, já estaremos fazendo muito por sua saúde.

  • O leite materno é um alimento completo que protege contra infecções. Ele possui todas as vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos, lipídeos, água e açúcares necessários ao desenvolvimento do bebê. E a mamãe pode, por meio de uma alimentação saudável e balanceada, melhorar ainda mais a qualidade deste importante líquido. Há, por exemplo, um estudo europeu que diz haver evidências de que se a mãe ingerir mais alimentos contendo ômega 3 durante a gravidez e o período de amamentação, a visão do bebê pode ser melhorada. Legal, não é?

  • Portanto, comer sanduíches gordurosos, bolos recheados com muito chocolate e massas carregadas de molho branco refeição sim e outra também não ajuda nem na produção do leite nem na sua qualidade. Fazer dietas restritivas também não. Assim, as mesmas premissas citadas no primeiro artigo da série sobre os componentes de uma alimentação ideal, também valem para a mulher que estiver amamentando. Se você tiver alguma dúvida, dê uma lida naquele texto e vai ver como é fácil ofertar um ótimo leite para seu bebê.

  • Advertisement
  • 2. Fórmula

  • As fórmulas são compostos industrializados que, cada vez mais, estão se aproximando da composição nutritiva do leite materno. Elas possuem aminoácidos, proteínas, lipídeos, açúcares, vitaminas e outras substâncias que se assemelham bastante àquelas encontradas no leite humano, mas não são iguais. Além disso, a diferença mais importante entre os dois tipos de leite é que o leite da mamãe possui substâncias chamadas imunoglobulinas e a fórmula não.

  • As imunoglobulinas são moléculas produzidas pelo sistema de defesa dos seres vivos. Elas têm a função de evitar que o organismo seja infectado por bactérias, vírus e fungos. Os bebês nascem sem esses componentes em seus corpinhos. Cabe às mamães transferir a eles as imunoglobulinas delas, principalmente através do que chamamos de colostro que é o líquido que sai dos seios nos primeiros dias após o parto.

  • As demais divergências entre as fórmulas e o leite materno podem ser facilmente solucionadas porque existem muitas marcas e muitos tipos de leite industrializado no mercado. Se o bebê tem intolerância a lactose, por exemplo, há fórmulas sem este açúcar. Se ele não se adapta a algum conservante de determinada marca, pode-se trocar para outro fabricante. Ou ainda, se ele sofre com refluxo, há leites espessados disponíveis.

  • Deu para perceber que o aleitamento materno é sempre a melhor opção, mas se você (como eu) não conseguiu ou não consegue amamentar seu filho, não se culpe por isso. As fórmulas que estão hoje no mercado são muito boas e possuem uma gama enorme de nutrientes de qualidade em sua composição. Acho que por enquanto é isso. No próximo e último artigo da série, vamos falar sobre os alimentos sólidos salgados e doces. Até lá!

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Leia o artigo, viva os ensinamentos e compartilhe!

Fernanda Trida é jornalista, médica veterinária, dona de casa, esposa, mãe de Marcela, com três anos, e de João, com um ano de idade.

Nutrição do bebê: Amamentação

Este é o segundo artigo da série de três textos que falam sobre o melhor modo de nutrir nossos bebês. Veja as diferenças entre aleitamento materno e amamentação com fórmulas.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr