Por que Deus envia seus filhos à Terra?

Se a vida é tão penosa, por que trazer filhos ao mundo? Conheça a opinião de Deus sobre o assunto, e de que forma a vida mortal é ESSENCIAL ao Plano de Salvação.

16,640 views   |   32 shares
  • Você já pegou um recém-nascido no colo e, sendo tomado de paz diante de tamanha fragilidade e pureza, perguntou mentalmente: "Quem é você, pequeno? De onde veio? Qual sua missão aqui na terra?" Ou, diante de uma pessoa falecida, questionou-se: "Onde ela está agora?", "O que acontecerá com ela daqui por diante?"

  • Se nunca pensou nisso, talvez seja a hora de começar a pensar. É um assunto que precisa ocupar nossos pensamentos, pois dependemos desse conhecimento para nos prepararmos para o que está por vir.

  • Para entender o propósito da mortalidade, é preciso compreender os seguintes pontos:

  • 1. De onde viemos?

  • Não entrarei em questões doutrinárias, basta afirmar que nossa jornada eterna teve início na presença de Deus, nosso Pai.

  • 2. É melhor não trazer filhos ao mundo a ter de expô-los às vicissitudes da mortalidade?

  • Essa é uma INVERDADE amplamente difundida. Muitos usam-na como desculpa para defender o aborto. Se assim fosse, Deus não diria a Adão e Eva: "Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra" (Gên. 1:28). Não foi mera sugestão, mas um mandamento. Portanto é um erro pensar que tanto faz uma pessoa nascer ou não. Ou que é melhor ela não nascer do que nascer para sofrer.

  • Todos os filhos de Deus precisam receber um corpo mortal, caso contrário, terão seu progresso eterno barrado. O que cada um de nós deve fazer é proporcionar a essas crianças ambientes seguros para nascerem, lares cheios de amor, onde suas necessidades sejam supridas e princípios corretos, ensinados.

  • Leia: Por que Deus permite o sofrimento?

  • 3. Mas por que é tão necessário receber um corpo físico?

  • Obter um corpo físico é fundamental para o progresso eterno de cada filho de Deus, pois como herdarão a vida eterna sem a ressurreição? E como ressuscitarão sem haverem morrido? E como morrerão sem haverem nascido? "Porque assim como a morte veio por um homem [Adão], também a ressurreição dos mortos veio por um homem [Cristo]." (1 Cor. 15:21)

  • Quando trazemos filhos ao mundo estamos não somente apoiando o Plano de Salvação do nosso Pai Celestial, mas formando uma espécie de sociedade com Ele.

  • 4. E por que a jornada mortal precisa ser tão dolorosa? Deus deseja que soframos?

  • O Senhor alegra-se em nos ver felizes, e Ele trabalha incansavelmente para que isso aconteça. Mas não há felicidade sem paz de consciência, e esta, por sua vez, está condicionada à retidão. Ou seja, não há como sermos felizes cometendo erros. Portanto, acabamos sofrendo por causa de nossos pecados de duas maneiras:

  • Advertisement
    1. Sentindo tristeza e remorso pelo erro cometido (quando temos consciência do erro) e perdendo a paz de espírito. Este sofrimento é bom e necessário, pois funciona como um sinal de alerta. Ele leva-nos ao arrependimento sincero, tão fundamental para obtermos o perdão divino e recobrarmos a paz e a alegria. "Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação" (2 Cor. 7:10)

    2. Sentindo tristeza, angústia e medo por causa das consequências de nossas más escolhas. Ainda que consigamos nos arrepender de um erro, muitas vezes precisamos lidar com as suas consequências.

  • Viver em retidão nos livrará desses sofrimentos, ainda assim, não estaremos imunes a outros tipos de sofrimento. Há situações que fogem do nosso controle, como uma crise na economia; catástrofes naturais; atos praticados por terceiros, como violência, ofensas, injustiça, perseguição etc.; doenças e a morte de um ente querido.

  • Leia:Encontrando a felicidade duradoura seguindo as leis de Deus

  • 5. De que forma devemos encarar o sofrimento?

  • O sofrimento é um grande refinador de caráter. Então, em vez de cedermos ao orgulho, devemos nos concentrar na busca do arrependimento sincero. E em vez de nos queixarmos dos infortúnios, de buscarmos vingança ou nos revoltarmos contra Deus, devemos aproveitar para refletir sobre a vida, apegar-nos ao Pai através de orações mais significativas, do jejum, da leitura das escrituras e de outras práticas espirituais. Devemos trabalhar para reverter nossa situação em vez de nos afundarmos na autocomiseração.

  • 6. E como lidar com a perda de entes queridos?

  • Uma verdade é irrefutável: todos morreremos, cedo ou tarde. A morte é parte essencial do Plano de Salvação de Deus. Precisamos da morte para progredir eternamente, pois, como já foi dito, sem morte não haverá ressurreição. Sem ressuscitarmos, não estaremos aptos a herdar a vida eterna.

  • Se tivermos essa verdade em mente, ficará muito mais fácil aceitarmos a morte, e a esperança amenizará a dor da perda e da saudade.

  • 7. E depois dessa vida, o que virá?

  • No devido momento, haverá uma ressurreição e um julgamento:

  • "E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras." (Apoc. 20:13)

  • Advertisement
  • "E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras." (Apoc. 20:12)

  • E, então, nos será dado o "veredito":

  • "E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação." (João 5:29)

  • Há alegria eterna reservada aos fiéis

  • Vivemos nos últimos dias desta Terra mortal, e sobrevêm sobre nós "tempos trabalhosos" (2 Tim. 3). Ou seja, nossa jornada mortal não é nem será fácil. Ainda assim, vale muito a pena passar pela mortalidade, por tudo de bom que podemos vivenciar durante esse período e, principalmente, por tudo o que, graças ao nosso Senhor Jesus Cristo (João 16:11), nos aguarda na eternidade, caso Lhe sejamos fiéis.

  • Leia: Como ensinar os filhos a orar

  • Deixo-lhes, como consolo e incentivo, as palavras do Apóstolo João, o Revelador:

  • "Vós agora... tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará." (João 16:22)

  • "E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas." (Apoc. 21:4)

  • "Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho." (Apoc. 21:7)

  • "Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas." (Apoc. 22:14)

Quer histórias inspiradoras e edificantes na sua caixa de entrada?

Compartilhe em um segundo!

Erika Strassburger mora no Rio Grande do Sul, tem bacharelado em Administração de Empresas, escreve e traduz artigos para o site Família, é cristã SUD, pintora amadora de telas a óleo e mãe de três lindos guris, o mais velho com Síndrome de Down.

Website: http://erikastrassburger.blogspot.com.br/

Por que Deus envia seus filhos à Terra?

Se a vida é tão penosa, por que trazer filhos ao mundo? Conheça a opinião de Deus sobre o assunto, e de que forma a vida mortal é ESSENCIAL ao Plano de Salvação.
Advertisement
Compartilhe conosco sua opinião
 

Agradecemos você ter se inscrito em nossa lista de e-mails. Por favor, aproveite os últimos artigos.

tumblr